domingo, 31 de maio de 2009

ALÉM DO VENTO

Observo.
Parece que todos se escondem.
Sinto o vento sobre a pele, que chega em suaves tons, feito cores da alma.
Nas árvores, os galhos balançam como canção de ninar e provocam sons suaves, que hipnotizam.
Mágico e sublime. Tão simples, quase irreal.
Me fazendo recordar que muito do que não vejo também existe.
E pulsa. E vibra.
Esclarece e me ampara.
Que seres são esses que voam como o vento e habitam esferas por onde não posso andar?
Quem são esses que me ouvem, sem que minha boca se abra e - talvez por isso mesmo - não se deixam enganar pelo absurdo das palavras?
Sem formas, sem sons, sem nada, se expressam numa linguagem perfeita.
De coração a coração.

Sueli


2 comentários:

  1. Oi Sueli! Acredito serem incógnitas que somente com o tempo, nos serão esclarecidas.

    Adorei, muito profundo. Parabéns!

    Beijos,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  2. Mistérios da vida... talvez nunca saberemos... talvez seja melhor assim... afinal, este é o encanto da vida...

    Linto teu blog viu... lindas palavras.

    Abraço =)

    ResponderExcluir