domingo, 10 de maio de 2009

PEDRA DO SOL E LUAR SERENO

Do nada ele apareceu.
Daquilo que não existia,
Surgiu um sentimento doce, cheio de ternura
Ganhei dele um nome, Pedra do Sol.
Pedra que, para os Apaches, são eternas como as montanhas, rochedos, desfiladeiros.
Sol, que é a Luz Divina para os Comanches e traz a paz, os sentimentos, a alegria e a força de Manitu, o Grande Espírito, o criador de todas as coisas.
Ele me trouxe o conhecimento de muitos segredos e o fazia porque entre nós a confiança foi o alicerce de uma linda amizade.
Eu o chamava simplesmente de Luar Sereno.
Porque gosta da noite e de todos os seus mistérios.
Porque, naqueles tempos, só havia, então, a paz, a quietude.
E ele era assim. Era sério, quase não mostrava seu sorriso.
Não posso chamá-lo mentor ou guia mas, de muitas maneiras, orientou alguns de meus passos e, com seus aliados, me protegia.
Por onde ele andará?
Teria desistido de mim?
Lembro de ter lhe pedido muita, muita paciência.
Porque as diferenças entre nós são enormes e as emoções intensas.
Às vezes o sinto por perto, em silêncio.
Talvez eu tenha exigido demais. Talvez.
Tavez, mesmo longe, ele esteja comigo.
Então saberá o quanto Pedra do Sol sente saudades de Luar Sereno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário