quinta-feira, 18 de junho de 2009

ÁGUIA DOURADA

Venho sentindo sua presença de um jeito forte, carinhoso, amigo.
Ainda não consigo entender o que me diz, mas sua energia me torna mais serena e confiante. Deduzo, então, que voltei ao caminho.
Seu jeito de se fazer notar me provoca até mesmo o riso: vivo me deparando com imagens nos filmes, nos e-mails que chegam, nos power-points que abro nessa tela de computador.
Não sabe, meu amigo, que do invisível, sua força vem até mim e se desenha ao meu redor e talvez, se eu tentasse, até poderia tocá-lo?
Tudo isso me faz entrar em sintonia com tempos já vividos.
Volto às grandes planícies, às altas montanhas.
Sinto o vento gelado batendo em meu rosto, sinto o cheiro da lenha, o calor da chama.
Sinto a liberdade.
Não há mais perigo!
Só ficaram memórias. Valores. Sentimentos.
Fica em mim a certeza de ser UMA com a natureza.
Fica em mim o Divino, o Sagrado de todas as coisas que foram e ainda são importantes.
Somos amigos como sempre fomos, embora hoje não consiga te ouvir - ainda!
Entendi o que queres. E estou pronta!
Percebo sua alegria e seu sorriso.
Sei que não estou só!
Nunca estive!
Sueli












Um comentário: