sábado, 6 de junho de 2009

Vida em Música

Num momento de quase magia, percorro criações alheias e me torno parte delas.
Entro nos compassos musicais e uma viagem em preto e branco se inicia na imaginação onde as figuras se transformam em fatos e os espaços são minhas opções.
Tudo é uma escolha infinita.
Dia após dia, noite após noite, sem fim. Sem que o tempo pare e me dê chances de voltar atrás.
Apenas, como consolo, posso escolher o ritmo.
Ou será ele que me escolhe, me fazendo correr atrás dos minutos que perdi?
Nem sempre tudo é harmonia. Nem sempre a melodia agrada aos ouvidos de quem ouve.
Posso transformar tudo em cores, apenas fechando os olhos. Apenas imaginando.
Sons em formas multicoloridas, imagens dançantes balançando com o vento.
Águas, azuis, vermelhos vibrantes.
Sangue e vida. Noite e estrelas.
Bandeirinhas e balões.
De repente, Dali não me parece tão absurdo, apenas brincalhão.
De repente, posso brincar embaixo das bandeirinhas de Volpi, declamando Drumond.
Ao som da Música eu posso tudo.
Me faço forte e faço arte.
E querendo, também toco
Tocando corações
e mentes....

Sueli

Nenhum comentário:

Postar um comentário