segunda-feira, 14 de setembro de 2009

ALWAYS IN MY HEART, TOO.

Nas minhas sombras, ainda te vejo.
Sinto que me acompanhas em silêncio.
Me sinto presa e sem vontade de me libertar.
Vou ficando.

Que elos são esses?
Os dias se vão no abandono de um querer.
O supérfluo e as aparências derrotaram a Verdade.
Mas, em alma e energia, ainda estamos juntos.

Erros e mágoas levaram ao silêncio.
Absoluto. Cruel. Insensato.
Temos muito que aprender.
Do amor, não sabemos nada!

Não quero me chamar Saudade!
Meu nome é Perdão.

Mais uma vez,
Quero estar de mãos dadas com um anjo,
Um anjo que me leva no coração,
para sempre.

para ti


Sueli

domingo, 13 de setembro de 2009

MERGULHO

Planejo hoje meus passos com cuidado.
Pretendo não mais me distrair com as luzes ofuscantes.
Ilusões.
Mentiras disfarçadas em verdades.
Caminhei muito.
E a estrada ainda é imensa.
Será que fui sincera todo o tempo?
Com os outros, provavelmente sim.
Olhando dentro da alma, não, não fui.
Cansei das atitudes pensadas.
Minimizadas, escondidas, construídas.
Mergulhei num lago profundo e lá me vi:
Sufocando, agonizando, entrelaçada e
Se debatendo em laços inúteis.
Fui ao socorro de mim mesma.
Liberdade, enfim.
Seus olhos, que são os meus,
Me fitam com gratidão e alegria.
Juntas, subimos à superfície e retomamos caminhos esquecidos.
Não sei em que momento sua imagem escapou de meus olhos,
Mas sinto sua presença como antes nunca senti.
Afinal, somos apenas uma,
Mentiras e Verdades de uma simples mulher.

Sueli

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

GENTE, GENTE...TUDO PASSARIM !

Saudade não tem fim...
É algo assim, assim.
Bate forte no peito;
Ressoa forte na alma.

Ah, o coração da gente é passarim.
Ele sente, e ninguém explica.
Quer voar pelas estrelas...
Mas, primeiro, precisa aprender a amar.

Sim, tudo vai bem, como Deus quer...
Tudo passa, e o tempo leva...
Mas o vento da vida venta, lá e cá.
E tudo muda na dança do viver.

A vida é uma onda no oceano do infinito...
O amor viaja pelas estrelas.
Mas ele gosta mesmo é do coração da gente.
Que é passarim do infinito...

No fundo do peito, ele bate asas.
Quer voar pelas estrelas...
Às vezes, o coração da gente parece gaiola.
Ah, passarim, passarim...
Que saudade!

Quando o Papai do Céu chama, a gente vai...
Voando igual passarim etéreo.
Para morar no Coração d’Ele, na Luz.
E o Amor nos abraça...

Ah, o passarim conhece muitas canções.
Pois a inspiração venta, lá e cá...
E o coração da gente se encanta.
E o Papai do Céu ri dentro de nós.

A vida é a mesma onda, lá e cá...
É sempre infinita, sempre passando.
E o coração da gente viajando...
Como Deus quer.

Saudade não tem fim...
Porque o passarim é eterno.
É algo assim, assim.
E nunca foi do corpo, mas da alma.

Ah, passarim, quantas coisas para aprender...
No infinito da vida.
Tudo passa, tudo muda.
E algumas canções voam, lá e cá...

Lá e cá, planos da vida infinita...
E dentro do coração da gente,
Há um passarim querendo voar.
Mas, primeiro, precisa aprender a amar.

P.S.:
Ninguém morre.
É só o passarim que decola,
Para voar além...
No Coração do Eterno.
Saudade não tem fim...
Nem o passarim.
É algo assim, assim.
Igual ao Amor que se sente,
E ninguém explica.
Igual à vida,
que também não se explica,
Só se sente.

(Dedicado ao Papai do Céu, que ri dentro do coração da gente.)

Mais um beijo para os leitores.
(Voem, voem, voem... Com amor...) -
Companhia do Amor** –A Turma dos Poetas em Flor.
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges – São Paulo, 27 de agosto de 2009.)