quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

A VOLTA


Às vezes é preciso recuar, olhar o que ficou pelo caminho.
Não consigo prosseguir sem caminhar novamente por esse passado.
Querer voltar é paralisante: a indecisão me atormenta.
Chega! Não há mais espaço para dúvidas!
Minha fé é meu impulso.
Sei bem aonde tudo isso me levará e por que.
Começo a caminhar, decidida, amparada.
Não estou só. Nunca estive.
Vou em busca dos talentos abandonados, esquecidos.
Deixados em algum lugar, esperando, esperando, esperando.
Me deparo com objetos amarelados pelo tempo, empoeirados.
Assim como os sonhos jamais vividos.
De repente, luzes coloridas realçam cenas que jamais esqueci.
Vejo rostos, sorrisos. Ouço sons: são doces vozes, risadas, canções.
Não havia reparado antes naquela caixa que, como mágica,
parece estar em todos os lugares.
Que estou dizendo? Tudo isso é pura magia!
Vou levá-la comigo. Já sei o que ela representa.
Avanço,
Essa sensação que me impulsiona não vem do vento, nem do sol.
Reconheço a meu lado todos os meus tesouros.
Dons que transformo em matéria porque, agora,
entendo a alquimia da Vida.
Com cuidado, coloco cada uma dessas coisas em minha caixa mágica.
Já posso voltar.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Degelo


Posso sentir os cristais se desfazendo, se entregando ao novo, ao depois.
Lá fora não é mais tão frio.
Nem tudo é tão quieto como pensei, meus ouvidos estavam fechados.
Meus olhos, minha boca.
As pequenas gotas escorrem e minha língua sente o frescor úmido da manhã.
A claridade ainda me perturba.
Mas é preciso abrir os olhos para ver as cores.
Que saudades dos amarelos, azuis, vermelhos!
Preciso de música.
Despertar novamente para os sons.
Novo ritmo, nova harmonia, novos acordes.
Dançar!
Ouvir a própria voz: doce, vibrante.
Ou apenas sensíveis sussurros.
Gritar de alegria, paixão!
Explodir em movimento. Girar. Correr.
Mergulhar em águas doces.
Sentir o vento, a chuva, o calor.
Simplesmente viver.
Amar!
Sueli

segunda-feira, 21 de junho de 2010

É PROIBIDO


É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.

É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,

Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos

Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,

Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,

Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,

Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se
desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,

Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,

Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,

Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

Pablo Neruda

domingo, 30 de maio de 2010

MANHÃ DE DOMINGO


Bastou aquietar a mente e o coração,
deixando fluir as idéias através da tinta.
Dar, de novo, vida aos pensamentos
como se fôssem seres mentais que haviam se perdido
num labirinto de momentos.

Tudo ainda é confuso.
Ainda há frio, mesmo que o Sol brilhe lá fora.
Tudo sempre é tão SIMPLES.
Uma coisa de cada vez,
passos firmes de um caminho desconhecido.

Medos, tristezas, dúvidas, para que?

Nem é preciso entendimento, são apenas palavras que se deixam ir.
É só!
Como disse, o Sol brilha.
Vou olhar o jardim!
Sueli

quinta-feira, 8 de abril de 2010

PALAVRAS DE KHALIL


"Como poderei partir em paz e sem mágoa?
Não, não vou sair da cidade com uma ferida no espírito.
Muitos foram os dias de dor que passei dentro das suas muralhas,
e muitas foram as noites de solidão;
e quem pode separar-se da dor e da solidão sem mágoa?
Espalhei demasiados fragmentos do espírito por estas ruas,
e muitos são os filhos da nostalgia que caminham nus por estas colinas,
e não posso afastar-me deles sem peso nem dor.
Não é a roupa que hoje dispo,
mas uma pele que arranco com as minhas próprias mãos.
Nem é um pensamento que deixo atrás de mim,
mas um coração tornado doce pela fome e pela sede.
No entanto, não posso demorar-me mais.
O mar que chama todas as coisas,
chama-me também e tenho de embarcar.
Pois ficar, embora as horas escaldem na noite,
é gelar e cristalizar e perderme numa forma.
De bom grado levaria tudo o que aqui se encontra.
Mas como o poderei fazer?
Uma voz não pode transportar
a língua e os lábios que lhe deram asas.
Terei de procurar sozinho o etéreo.
E solitária e sem ninho a águia atravessará o sol."

Autor: Khalil Gibram, in "O profeta"

quinta-feira, 25 de março de 2010

RIO DA VIDA


Há quanto tempo fiquei aqui?
No silêncio, observando o movimento das águas?
Vieram noites, dias, senti o vento e a chuva.
Imóvel. Tentando reter na memória imagens do ontem.
Quantos pensamentos, quantos textos ficaram perdidos!
Na superfície molhada, cenários mudos de um passado recente parecem não se importar com a correnteza.
Ficarão para sempre retidos na alma.

Para sempre...Saudades...

Concluo que as palavras são inúteis, vazias,
nem sempre expressam sentimentos, emoções.
Ainda é difícil, mas a passividade me atormenta.
A magia das águas me atrai, me chama, me impulsiona.
Sei que posso fazer nascer novos cenários, novas lembranças.
Me deixo, aos poucos, sentir a água fria sobre meus pés.
Avanço. Me permito viver esse momento.

Viver!
Mergulhar nas águas no Tempo.

Sueli

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

SE ESSA RUA FOSSE MINHA...


Em todas as horas
Águas em abundância
Observo.
A Natureza grita!
Tudo que é demais destrói
A mesma água da Vida, traz destruição, caos.
Morte.
O Tempo não é mais o mesmo.
O ritmo se faz pelos pingos da chuva.
A cidade não é mais da garoa.
É o espaço das enchentes, dos alagamentos
Nossos rios esquecidos borbulham, crescem.
Explodem.
As ruas calçadas são labirintos líquidos
e a imensidão molhada desce ladeiras.
Que fizemos nós?

"Se essa rua, se essa rua fosse minha,
eu mandava, eu mandava ladrilhar"

Do versinho infantil, à nossa insensatez
Nem mesmo são pedrinhas de brilhantes,
Tudo está coberto pelo cinza escuro e frio.
Tudo em nome do Tempo, que não temos mais.


Sueli

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

CURVAS DA VIDA


"NÃO IMPORTA O QUE VOCÊ PEDIR,
É APENAS UMA VISÃO MICROSCÓPICA DAQUILO QUE DEUS DESEJA LHE DAR."

Você já se perguntou por que a estrada tem curvas?
Por que é que todas as estradas não são retas?
Por que é que as ruas da cidade sobem, descem e dobram esquinas?
As curvas da estrada nos dão a oportunidade de ir vendo um pouquinho de cada vez.
À medida que vamos avançando, ganhando terreno,
um pouco mais nos é revelado.
É assim que a vida funciona.
Ela vai lhe dando aquilo com que você consegue lidar em pequenas doses,
mesmo quando você acha que agüentaria mais.
Isso é o que chamamos de graça de Deus.
Onde quer que você se encontre,
é exatamente onde precisa estar.
Mesmo quando você queria estar em outro lugar,
em circunstâncias diferentes,
a vida sabe que você provavelmente não conseguiria lidar com a outra situação.
Deepak Chopra escreveu: "Sejam quais forem os relacionamentos que você atraiu para dentro de sua vida, numa determinada época, eles são os relacionamentos de que você precisava naquele momento."
Quando você estiver preparada para fazer uma coisa nova,
de uma maneira nova,
você fará, com pessoas novas.
Há gente à espera da pessoa na qual você está se transformando.
É provável que você ainda não esteja pronto para conhecê-las.
A cada momento específico, cada um de nós está passando pelo processo de ser e de se tornar.
Estamos aprendendo o máximo que podemos.
A estrada tem curvas e estamos sendo preparados para lidar com o que nos aguarda a cada curva.
Obrigada meus Deus por ter feito as curvas da estrada!
Obrigada por nos amar o suficiente para nos dar apenas aquilo com que conseguimos lidar no momento em que acontece!
Obrigada meu Deus,
por permitir que o curso do processo da vida seja lento e suave.

"DEUS QUER O MELHOR PARA VOCÊ
E SÓ DEUS SABE O QUE É MELHOR PARA VOCÊ."


autoria: Iyanla Vanzant