quinta-feira, 8 de abril de 2010

PALAVRAS DE KHALIL


"Como poderei partir em paz e sem mágoa?
Não, não vou sair da cidade com uma ferida no espírito.
Muitos foram os dias de dor que passei dentro das suas muralhas,
e muitas foram as noites de solidão;
e quem pode separar-se da dor e da solidão sem mágoa?
Espalhei demasiados fragmentos do espírito por estas ruas,
e muitos são os filhos da nostalgia que caminham nus por estas colinas,
e não posso afastar-me deles sem peso nem dor.
Não é a roupa que hoje dispo,
mas uma pele que arranco com as minhas próprias mãos.
Nem é um pensamento que deixo atrás de mim,
mas um coração tornado doce pela fome e pela sede.
No entanto, não posso demorar-me mais.
O mar que chama todas as coisas,
chama-me também e tenho de embarcar.
Pois ficar, embora as horas escaldem na noite,
é gelar e cristalizar e perderme numa forma.
De bom grado levaria tudo o que aqui se encontra.
Mas como o poderei fazer?
Uma voz não pode transportar
a língua e os lábios que lhe deram asas.
Terei de procurar sozinho o etéreo.
E solitária e sem ninho a águia atravessará o sol."

Autor: Khalil Gibram, in "O profeta"

3 comentários:

  1. Olá Sueli! Passando para te desejar uma boa noite e dizer que adorei as "Palavras de Khalil", dotado de muita profundidade. bela escolha. Parabéns!

    Beijos e fiques com DEUS.

    Furtado.

    Ps= Mandei um e-mail pra ti e gostaria que acusasses o recebimento.

    ResponderExcluir
  2. Indiquei seu blog para o selo de ouro, pega lá no meu www.monologovirtual.blogspot.com/
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Sueli, falar de Khalil é pouco. Adoro este escritor e poeta que sofreu por amor. Esta poesia mostra claramente o sofrimento pelo qual ele passou. Bela escolha. Abraço.

    ResponderExcluir