domingo, 30 de maio de 2010

MANHÃ DE DOMINGO


Bastou aquietar a mente e o coração,
deixando fluir as idéias através da tinta.
Dar, de novo, vida aos pensamentos
como se fôssem seres mentais que haviam se perdido
num labirinto de momentos.

Tudo ainda é confuso.
Ainda há frio, mesmo que o Sol brilhe lá fora.
Tudo sempre é tão SIMPLES.
Uma coisa de cada vez,
passos firmes de um caminho desconhecido.

Medos, tristezas, dúvidas, para que?

Nem é preciso entendimento, são apenas palavras que se deixam ir.
É só!
Como disse, o Sol brilha.
Vou olhar o jardim!
Sueli