sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

OS TEXTOS PERDIDOS


Queria buscar dentro de mim todas as idéias que já tive,
Das mais absurdas, às mais belas.
Onde elas estão? Em que lugar de minha alma se escondem?
Já pensei em gravá-las, mas os pensamentos parecem ter vida própria
e surgem inesperadamente, em loucos momentos.
Impossível reter, são como o vento.
Às vezes, uma só palavra se expande e atraí pra si possibilidades infinitas.
Um bloco, um emaranhado de fios sem conexão aparente,
Mistério a ser desvendado, como se eu fosse uma arqueóloga, desenterrando
algo frágil, valioso, criando em mim mesma expectativas, ansiedade.
Mesmo que eu os libertasse de mim, usando minha voz,
será que conseguiria uma expressão que fizesse sentido?
Não!
É preciso calma,
É preciso sentar, aquietar a mente e esquecer de tudo.
Como a Pintura, como na Música, é preciso ir em busca da harmonia.
Juntar as letras, como se faz com as cores, com as notas.
É preciso ....CRIAR.
Sueli

Um comentário: